FRATERNIDADE LEIGA DE S. DOMINGOS NO PORTO

Junho 20, 2008

Santo do dia: Margarida Ebner

Filed under: Personagens — Gabriel Silva @ 9:00 am

Margarida de Ebner (1291-1351), nasceu no seio de uma das famílias dominantes da cidade de Donauworth, na Baviera, actual Alemanha.

Quanto tinha 15 anos, entrou no vizinho convento de monjas dominicanas de Maria Medingen. Uma sua tia já ali vivia e outras parentes se lhe seguiram. Algumas tiveram cargos de responsabilidade, mas Margarida, aparentemente por motivos de saúde não.

A política do Sacro Império Romano-Germânico teve uma enorme influência na vida de Margarida. Em 1324, as monjas tiveram de sair do seu mosteiro devido á guerra travada entre Luís da Baviera (rei desde 1324, e Imperador entre 1328-1347) e aqueles que lhe disputavam o direito ao trono. Margarida passou dois anos com a sua família na sua cidade natal de Donauworth antes de poder voltar a Maria Medingen.

Em 1328, por razões políticas, o papa excomungou o rei Luís e colocou toda a Alemanha sob interdito. Tal significava que todos os sacramentos eram invalidamente ministrados. Embora o édito tenha sido inicialmente ignorado, posteriormente, em algumas áreas foi efectivamente aplicado. Para as monjas que viviam intensamente a vida sacramental, tal foi uma séria dificuldade e privação de um dos seus principais alimentos espirituais. Margarida abordou várias vezes o assunto. Após dez anos, o Rei Luís «respondeu» ao interdito, elegendo o seu próprio Papa e ordenando sacerdotes na Alemanha para administrarem os sacramentos, sob pena de exílio.

No conflito entre o Rei Luís e o papado, Margarida apoiava o rei Luís. Tal demonstrava uma considerável independência, não apenas por causa de a Ordem dos Pregadores, à qual pertencia, apoiar o Papa, mas porque o seu principal assistente espiritual e amigo, o sacerdote secular Heinrich von Nordlingen, se opunha a Luís e em 1338 escolheu o exílio ao invés de violar o interdito.

É durante o exílio de Heinrich que Margarida escreve o seu livro , Offenbarungen (Revelações). Margarida e Henrich trocam continua correspondência (56 das suas cartas sobreviram, mas muitas outras se perderam). Henrich envia-lhe uma cópia da sua tradução de Fliessende Licht der Gottheit (A Luz irradiante da Divindade), de Mechthild de Magdeburg e encoraja-a a escrever sobre as suas próprias experiências místicas e a enviar-lhe para Berna, na Suíça, onde se encontrava. Apesar de, desde 1312 e até 1348, manter um diário espiritual (que se encontra publicado), em 1344, ela começa de facto a escrever, uma vezes pela sua própria mão, outras, ditando a uma outra monja. Conheceu em 1332 o beato Henrique Suso, frade dominicano e um dos expoentes máximos da escola mística renana e grande impulsionador do movimento «Amigos de Deus». Heinrich fez circular os seus escritos entre os seus amigos por toda a Suíça e Alemanha, tornando-a bastante conhecida. Henrich regressou do exílio em 1350 e visitou Margarida pelo menos uma vez antes de esta falecer em 20 de Junho de 1351.

Foi beatificada pelo Papa João Paulo II, a 24 de Fevereiro de 1979.
Dia festivo a 20 de Junho.

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: